Moro vai depor no Senado sobre troca de mensagens dia 19

Mais cedo, a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou que estava articulando uma visita "espontânea" de Moro

Foto: Hugo Barreto/MetrópolesFoto: Hugo Barreto/Metrópoles

atualizado 11/06/2019 18:31

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), enviou nesta terça-feira (11/06/2019) um ofício ao presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), com uma solicitação de comparecimento do ministro da Justiça e Segurança Púbica, Sergio Moro, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O objetivo é que o ex-juiz preste esclarecimentos sobre a divulgação de supostas mensagens trocadas por ele com procuradores da Lava Jato.

Inicialmente, o senador sugeriu que a audiência pública com o titular da pasta ocorresse em 19 de junho ou no fim do mês, em 26 de junho. Para definir o calendário, Bezerra pede que Alcolumbre entre em contato com a presidente da comissão, Simone Tebet (MDB-MS). Ficou definido que a audiência será na manhã do dia 19.

“Manifestamos nossa confiança no ministro Sergio Moro, certos de que esta será uma oportunidade para que demonstre a sua lisura e correção como juiz federal, refutando as críticas e ilações a respeito da sua conduta à frente da Operação Lava Jato”, escreveu.

Mais cedo, a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou que estava articulando uma visita “espontânea” de Moro tanto na CCJ do Senado como na da Câmara, para evitar uma convocação feita pelo colegiado, similar à do titular da Educação, Abraham Weintraub.

Na Câmara, deputados também articulam uma convocação do ministro. Mas em vez de ir à comissão, ir ao plenário. No Senado, Angelo Coronel (PSD-BA) apresentou, nessa segunda (10/06/2019), dois requerimentos para convocação de Moro e do procurador federal Deltan Dallagnol à Casa. Entretanto, com o pedido de audiência pública, os requerimentos devem ser ignorados.

Últimas notícias